DONOS DE ASILO CLANDESTINO SÃO PRESOS SUSPEITOS DE TORTURAREM IDOSOS EM BALNEÁRIO PINHAL.

Ontem (30), policiais civis de Balneário Pinhal, coordenados pelo Delegado Alexandre Souza, interditaram uma casa que funcionava clandestinamente como asilo. Inicialmente a denúncia recebida era de maus-tratos, para nossa surpresa evidenciamos fatos muito mais graves, estávamos diante de um intenso sofrimento físico e mental sofridos pelas pessoas que ali habitavam.

O local era altamente insalubre, com vários cachorros circulando pelas dependências da casa. O mau cheiro era insuportável, banheiro sujo, e as vítimas estavam com forte odor e enroladas em maltrapilhos. Havia uma caixa de remédios com a data de validade vencida e esse medicamento estava sendo ministrado aos idosos, diariamente, para controle de pressão arterial. A diligência ocorreu no horário do almoço e as geladeiras estavam praticamente vazias, os idosos estavam com fome e os policiais tiveram que comprar refeições para eles.

Na carteira de um dos proprietários foram encontrados vários cartões bancários em nome de terceiras pessoas, bem como das vítimas dessa ocorrência policial. Uma idosa de 79 anos, cadeirante, estava com um ferimento no pé já em estado de putrefação e com insetos.

Uma esquizofrênica de 40 anos estava com cabelos raspados devido ao excesso de piolhos, além de hematomas no rosto provocado por socos. Um senhor de 76 anos estava com o olho roxo devido a um soco desferido por um dos proprietários.

A polícia civil contou com o apoio da Prefeitura de Balneário Pinhal por intermédio da Assistência Social, que arrumou um lar provisório para as vítimas, bem como a Secretaria de Saúde que acompanhou a diligência.

O suspeito D.H.B.S.S, 20 anos, e o seu companheiro J.C.R.C, 42 anos, já com antecedentes policiais por maus tratos contra idosos, foram presos em flagrante pelos crimes de Tortura e Apropriação Indébita de bens de pessoas idosas e serão encaminhados à Penitenciária Modulada de Osório.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *